segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

POEMA ÓRFÃO

O poema nasceu órfão
Abandonado na folha de papel
Papel branco e monótono
Onde tudo era vazio

E o poema era mudo
Porque não o ensinaram a falar
Mas em sua métrica desregrada
Mesmo que não dissesse nada
Era incompreendido

Nenhum comentário:

Postar um comentário